04/09/2020

Reajuste no consórcio: como calcular IGP-M e INCC

Em setembro são calculados os reajustes do consórcio que ajudam os consorciados a garantirem o poder de compra futuramente.

Se você já tem ou está pesquisando sobre consórcios, com certeza já ouviu falar em “reajuste”, mas afinal, para que serve e como ele influencia na sua carta de crédito? Confira neste artigo como calcular o IGP-M e INCC e saiba mais sobre os termos que aparecem no reajuste do consórcio.

Reajuste no Consórcio: O que é?

São índices calculados pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) mensalmente, mas o Consórcio Magalu considerada sempre no final do mês de setembro a média acumulada dos últimos 12 meses, que é aplicada nas parcelas a partir do mês de outubro.

O INCC é específico e aplicado apenas para os contratos de imóveis, pois se refere ao Índice Nacional de Custo de Construção. O índice considera a inflação e o aumento do custo dos insumos e serviços nas construções imobiliárias, por exemplo: materiais, equipamentos e mão de obra.

O IGP-M é aplicado em todos os outros segmentos (carro, moto, serviços, eletro e móveis) e se refere ao Índice Geral de Preços do Mercado. O cálculo se baseia na variação de preços de mercado divulgadas pelo IBGE e atinge praticamente todos os setores da economia, desde alugueis, contas de luz e preço dos produtos e serviços.

Por que o reajuste acontece?

O reajuste das cartas de crédito acontece para manter o poder de compra do consorciado. Com a inflação e o aumento dos preços, alguns planos a longo prazo poderiam ser prejudicados sem essas correções.

Por exemplo, um cliente que deseja comprar hoje um carro básico, ano 2020, vai pagar em média R$40.000. Considerando um plano de 80 meses, ao final do plano um carro básico do ano estará custando mais do que essa carta de crédito de R$40.000.

Por esse motivo, o reajuste segue o aumento de preço do mercado e garante que, daqui 80 meses, você compre um carro do mesmo nível que desejava inicialmente ao adquirir o consórcio.

Como isso influencia minhas parcelas?

Após a definição do índice de setembro pela FGV, a administradora de consórcio realiza a média do acumulado dos últimos 12 meses e passa a aplicar esse reajuste nas parcelas a partir da assembleia de outubro.

Isso explica porque as parcelas passam a ter alteração a partir de outubro. Mas fique tranquilo, isso é para garantir que todos do grupo tenham a mesma condição de adquirir o bem no momento da contemplação.

Vale lembrar que o reajuste não é um juros do consórcio, o valor pago a mais nas parcelas será adicionado no momento da contemplação ao crédito dos clientes não contemplados.

Como calcular o reajuste?

Para calcular o reajuste é simples: vamos considerar uma carta de crédito de R$10.000, em 50 meses, sendo que 25 parcelas já estão pagas.

Multiplique o valor da sua carta por 4,95%: R$10.000 x 4,95% = R$10.495

Esse é o valor da carta de crédito após a valorização R$ 10.495,00

Para calcular quanto fica o valor da parcela após a valorização, aplicamos o percentual de valorização, no valor da parcela:

R$ 250,00 x 4,95% = 12,38

Portanto, esse valor de R$ 12,68 será somado no valor de parcela, após o reajuste. A partir disso, a parcela passará a ter o valor de R$ 262,38.

Vale ressaltar que essa média acumulada é aplicada sobre as cartas de crédito e começa a valer a partir da assembleia e, consequentemente, o valor da diferença é acrescentado às parcelas dos consorciados. Para esclarecer como é feito esse cálculo vamos a um exemplo prático:

Conclusão

O Consórcio Magalu trabalha com transparência e fica feliz em esclarecer todas as suas dúvidas para que a sua experiência conosco seja a mais tranquila e agradável do começo ao fim. Afinal, nós somos os únicos especialistas em realizar sonhos!

Mas se você ainda tem dúvidas sobre o reajuste, pode entrar em contato com a nossa central de atendimento pelo Chat Online, para falar com nossa equipe de especialistas online.

Reajuste no consórcio: como calcular IGP-M e INCC

Reajuste no consórcio: como calcular IGP-M e INCC

Postado em: 04/09/2020  

Em setembro são calculados os reajustes do consórcio que ajudam os consorciados a garantirem o poder de compra futuramente.

Se você já tem ou está pesquisando sobre consórcios, com certeza já ouviu falar em “reajuste”, mas afinal, para que serve e como ele influencia na sua carta de crédito? Confira neste artigo como calcular o IGP-M e INCC e saiba mais sobre os termos que aparecem no reajuste do consórcio.

Reajuste no Consórcio: O que é?

São índices calculados pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) mensalmente, mas o Consórcio Magalu considerada sempre no final do mês de setembro a média acumulada dos últimos 12 meses, que é aplicada nas parcelas a partir do mês de outubro.

O INCC é específico e aplicado apenas para os contratos de imóveis, pois se refere ao Índice Nacional de Custo de Construção. O índice considera a inflação e o aumento do custo dos insumos e serviços nas construções imobiliárias, por exemplo: materiais, equipamentos e mão de obra.

O IGP-M é aplicado em todos os outros segmentos (carro, moto, serviços, eletro e móveis) e se refere ao Índice Geral de Preços do Mercado. O cálculo se baseia na variação de preços de mercado divulgadas pelo IBGE e atinge praticamente todos os setores da economia, desde alugueis, contas de luz e preço dos produtos e serviços.

Por que o reajuste acontece?

O reajuste das cartas de crédito acontece para manter o poder de compra do consorciado. Com a inflação e o aumento dos preços, alguns planos a longo prazo poderiam ser prejudicados sem essas correções.

Por exemplo, um cliente que deseja comprar hoje um carro básico, ano 2020, vai pagar em média R$40.000. Considerando um plano de 80 meses, ao final do plano um carro básico do ano estará custando mais do que essa carta de crédito de R$40.000.

Por esse motivo, o reajuste segue o aumento de preço do mercado e garante que, daqui 80 meses, você compre um carro do mesmo nível que desejava inicialmente ao adquirir o consórcio.

Como isso influencia minhas parcelas?

Após a definição do índice de setembro pela FGV, a administradora de consórcio realiza a média do acumulado dos últimos 12 meses e passa a aplicar esse reajuste nas parcelas a partir da assembleia de outubro.

Isso explica porque as parcelas passam a ter alteração a partir de outubro. Mas fique tranquilo, isso é para garantir que todos do grupo tenham a mesma condição de adquirir o bem no momento da contemplação.

Vale lembrar que o reajuste não é um juros do consórcio, o valor pago a mais nas parcelas será adicionado no momento da contemplação ao crédito dos clientes não contemplados.

Como calcular o reajuste?

Para calcular o reajuste é simples: vamos considerar uma carta de crédito de R$10.000, em 50 meses, sendo que 25 parcelas já estão pagas.

Multiplique o valor da sua carta por 4,95%: R$10.000 x 4,95% = R$10.495

Esse é o valor da carta de crédito após a valorização R$ 10.495,00

Para calcular quanto fica o valor da parcela após a valorização, aplicamos o percentual de valorização, no valor da parcela:

R$ 250,00 x 4,95% = 12,38

Portanto, esse valor de R$ 12,68 será somado no valor de parcela, após o reajuste. A partir disso, a parcela passará a ter o valor de R$ 262,38.

Vale ressaltar que essa média acumulada é aplicada sobre as cartas de crédito e começa a valer a partir da assembleia e, consequentemente, o valor da diferença é acrescentado às parcelas dos consorciados. Para esclarecer como é feito esse cálculo vamos a um exemplo prático:

Conclusão

O Consórcio Magalu trabalha com transparência e fica feliz em esclarecer todas as suas dúvidas para que a sua experiência conosco seja a mais tranquila e agradável do começo ao fim. Afinal, nós somos os únicos especialistas em realizar sonhos!

Mas se você ainda tem dúvidas sobre o reajuste, pode entrar em contato com a nossa central de atendimento pelo Chat Online, para falar com nossa equipe de especialistas online.

Tags

Formas de pagamento

Baixe nosso app

Uma empresa do grupo
Luiza Administradora de Consórcios Ltda: - CNPJ: 60.250.776/0001-91
Feito com ♥ pela 8D PRO
Chat Chat