Guia prático para declarar o consórcio no Imposto de Renda

Chegou aquela época do ano em que temos que fazer a declaração do Imposto de Renda e que acaba gerando dúvidas e apreensão com toda a burocracia. Para facilitar as coisas para você, viemos mostrar que declarar o consórcio no Imposto de Renda não é um bicho de sete cabeças.

Se você ainda não começou a organizar os documentos necessários, a hora é agora. A dica é não deixar para o último momento e acabar esquecendo alguma coisa, ficando em pendência com a Receita Federal.

Independentemente se você foi contemplado ou não no ano de 2020, é preciso declarar o consórcio no Imposto de Renda. Então pegue aí o caderno de anotações e muita atenção para entender como fazer sua declaração sem dor de cabeça.

Não fui contemplado com a carta de crédito, ainda assim preciso declarar o consórcio no Imposto de Renda?

Informar à Receita Federal sobre os dados do seu consórcio é necessário mesmo que você ainda não tenha sido contemplado. Isso porque o órgão precisa saber de onde veio o dinheiro que você utilizou para comprar o bem, quando você finalmente o tiver adquirido.

Assim sendo, se você se encontra nessa situação, ao declarar o consórcio no Imposto de Renda, você deverá abrir a ficha “Bens e Direitos” e selecionar o código 95, referente ao Consórcio Não Contemplado. Após preencher esse campo, é necessário informar a localização e o CNPJ da empresa do consórcio.

Após esse primeiro momento, preencha o campo de discriminação com a maior quantidade de informações que tiver sobre seu investimento, como o nome do consórcio, número do contrato, grupo, valor da carta de crédito, prazos e o bem material que vai adquirir: veículo, imóvel, terreno, entre outros.

Além disso, é preciso dedicar atenção especial para os dois próximos campos: se o consórcio foi contratado em 2020, deixe o campo “Situação em 31/12/2019” em branco. Já no campo “Situação em 31/12/2020”, coloque o valor total das parcelas que foram pagas no ano passado.

Caso você participe do consórcio há mais tempo, desde 2019, por exemplo, no campo “Situação em 31/12/2019” coloque o mesmo valor informado na declaração do IR de 2020. Por sua vez, no campo “Situação em 31/12/2020”, basta somar o valor informado no campo “Situação em 31/12/2019” com as parcelas pagas em 2020.

Fui contemplado, e agora?

Caso você tenha sido contemplado no ano de 2020, o processo para  declarar o consórcio no Imposto de Renda é um pouquinho mais simples. Ainda assim, é necessário prestar muita atenção para não errar algum dado e acabar caindo na malha fina.

Ao preencher a declaração, você deverá abrir a aba de Bens e Direitos e selecionar o código 95 (Consórcio Não Contemplado). Na hora de preencher, você coloca seus dados até o mês de quitação do consórcio. Se adquirido o bem de fato, é preciso incluir o seu código correspondente: veículo, imóvel, terreno ou outros.

Além disso, na parte de “Discriminação”, é preciso detalhar tudo sobre o consórcio como o número de parcelas a serem pagas e as que já foram quitadas, bem como a descrição do bem. 

Caso você tenha adquirido um carro, por exemplo, deve-se especificar o modelo, placa, ano, etc. Se for um imóvel, é necessário informar o endereço, CEP, número do IPTU, matrícula do imóvel e descrição conforme a escritura.

Não utilizei minha carta de crédito, o que preciso fazer?

Por sua vez, se você recebeu a carta de crédito, mas não adquiriu o bem no ano de 2020, ainda assim é preciso declarar o consórcio no Imposto de Renda. 

Na aba de Bens e Direitos é preciso selecionar o código 95 (Consórcio Não Contemplado) e informar à Receita Federal que, apesar de recebido, o valor não foi utilizado para a compra do bem até 31/12/2020.

De olho no prazo!

Com todas as dicas deste artigo, você tem tudo para tirar de letra ao declarar o consórcio no Imposto de Renda. Apesar da pandemia, o processo de envio da declaração é o mesmo.

Ainda assim, não deixe para a última hora, já que o site da Receita Federal costuma ficar sobrecarregado nos últimos dias do prazo para a declaração. O prazo para enviar sua declaração com o ano-base 2020 é até às 23h59 no horário de Brasília do dia 31 de maio.  

A data de entrega do IR se encerrava anteriormente no dia 30 de abril, mas houve uma prorrogação devido à pandemia. Além disso, existe também um projeto no Senado solicitando que o prazo seja estendido até 31 de julho. Nesse sentindo, fique alerta sobre as atualizações.

Caso você tenha alguma dúvida ou questionamento sobre como declarar o consórcio no Imposto de Renda, você pode entrar em contato com um de nossos especialistas em consórcio. O atendimento é feito 100% online. Faça também o download do aplicativo do Consórcio Magalu no Google Play ou na App Store para ficar em dia com nossas novidades.

Aprenda como declarar o seu consórcio no Imposto de Renda

A data do prazo final para fazer a declaração do Imposto de Renda, que é 30 de abril, está chegando e as pessoas começam a se desesperar em busca de informações de como proceder.

Uma das principais dúvidas de sempre é: devo declarar o consórcio no Imposto de Renda também? A resposta é sim! Independentemente se ele foi contemplado ou não. Mas, não se assuste. Essa dúvida é muito mais comum do que se imagina, afinal, a demanda por consórcios é crescente no Brasil e muitas pessoas precisam realizar a sua declaração.

De acordo com dados da ABAC (Associação Brasileira de Administradoras de Consórcios), somente em 2018, a entrada de novos consorciados somou 2,596 milhões de pessoas, o que representa um aumento de 9,1%, se comparado ao ano anterior de brasileiros que contrataram um consórcio. Ou seja, certamente você não é o único buscando a informação e nem tudo está perdido, ainda há tempo para ficar em dia com a Receita Federal e realizar o procedimento sem erros.

Pensando nessa grande dificuldade por parte de muitos brasileiros, preparamos este artigo para guiar o seu processo. Sendo assim, entenda como declarar o seu consórcio no Imposto de Renda. Boa Leitura!

Ainda não foi contemplado?

Informar à Receita Federal sobre o seu consórcio no imposto de renda mesmo sem ter sido contemplado é imprescindível para que o órgão conheça a origem do dinheiro utilizado para comprar o bem, principalmente quando você o tiver adquirido.

Portanto, se você se encontra nesta categoria e ainda não foi contemplado com a carta de crédito do consórcio, abra a ficha “Bens e Direitos” e selecione o código 95 (Consórcio Não Contemplado) orienta o contador pós-graduado em controladoria e gestão tributária Rômulo Ataíde. Após preenchido o campo, é preciso informar a localização e o CNPJ da empresa do consórcio.

Além disso, no campo de discriminação, preencha o máximo de informações que tiver, como o nome do consórcio, número do contrato, grupo, valor da carta de crédito, prazos e o bem material que vai adquirir (veículo, imóvel, terreno etc).

Atenção especial para os dois campos seguintes, se o consórcio foi contratado em 2019, deixe o campo “Situação” em 31/12/2019” em branco e, no campo “Situação em 31/12/2019”, preencha o campo com o valor total das parcelas que foram pagas no ano.

Caso você esteja participando do consórcio desde 2017, no campo “Situação em 31/12/2018” coloque o mesmo valor informado na declaração do IR de 2019. Já no campo “Situação em 31/12/2019”, basta somar o valor informado no campo “Situação em 31/12/2018 com as parcelas pagas em 2019.

Declarar o Imposto de Renda ao ser contemplado

No caso de ter sido contemplado no ano de 2019 é muito simples, informe os pagamentos e lances na aba de Bens e Direitos com o código 95 (Consórcio Não Contemplado) até a quitação do consórcio. Se adquirido o bem de fato, inclua o seu código correspondente (veículo, imóvel, terreno e etc).

Em “Discriminação”, deve ser detalhado tudo sobre o consórcio como o número de parcelas a serem pagas e as que já foram quitadas, bem como a descrição do bem. Exemplo, se for um carro, especificar o modelo, placa, ano, etc. Se for um imóvel, informar o endereço, CEP, número do IPTU, matrícula do imóvel e descrição conforme escritura etc.

“Na hipótese de a pessoa ter recebido a carta de crédito do consórcio, porém, não tenha adquirido o bem, é necessário colocar no código 95 (Consórcio Não Contemplado) e informar que o valor foi recebido, entretanto, não utilizado para a compra do bem até 31.12.2019” ressalta o contador Rômulo Ataíde.

Conclusão

Ao longo deste artigo apresentamos os principais pontos acerca de como declarar o seu consórcio no Imposto de Renda. Lembre-se de não deixar para última hora, assim você pode evitar dores de cabeça no futuro. Ficou alguma dúvida? Comente abaixo ou entre em contato com um de nossos especialistas online para esclarecer. Baixe também o aplicativo do Consórcio Magalu, disponível no Google Play e App Store e tenha acesso a todos os nossos serviços na palma da sua mão.

Chat Chat